domingo, 9 de janeiro de 2011

Orgasmo feminino - Elas fingem?

  Artigo Publicado no Jornal Gazeta do Oeste em 07.01.11 com o título: "Quantas mulheres fingem ter orgasmo?"

  Pelo menos um quarto delas! Especialistas acreditam que pelo menos uma em cada três mulheres sofra de anorgasmia. Esse número, acreditem, pode chegar a 40% das mulheres.
Uma relação sexual tem 04 etapas: desejo, excitação, orgasmo e resolução. Quando o indivíduo só consegue chegar à excitação - que é a fase na mulher onde há lubrificação e no homem a ereção - e não consegue chegar ao orgasmo e a resolução, a isso se denomina como disfunção sexual, ou pra ser mais clara, ANORGASMIA. No homem o problema é menos comum.
     Grande parte dessas mulheres consegue ter orgasmo apenas por estimulação clitoriana, mas não consegue chegar ao orgasmo na relação com penetração. Dito isto, chegamos a conclusão de que elas mentem mesmo, a não ser que o homem seja muito sensível e perspicaz para perceber que o dito "orgasmo" é história pra boi dormir!. Essa disfunção, tão comum, talvez a mais comum de todas as disfunções nas mulheres dá-se em detrimento de muitos fatores - a maioria psicológicos -. Vivemos numa sociedade que embora, diga-se de passagem, já muito moderna, ainda carrega em seu arcabouço muito da cultura machista e paternalista. As mulheres ainda carregam muito o peso dos cuidados e do ser "recatado". Ainda existe bem claro o que homens e mulheres podem ou não podem fazer, infelizmente digamos que as mulheres ainda podem muito pouco.
     A sensação mais comum que se tem é de que "há algo errado comigo!" Será que eu não vou conseguir nunca? O parceiro reclama e há sentimento de impotência feminina e masculina generalizados.
     Mulheres que nunca sentiram orgasmo: grande parte desse problema é oriundo de uma falta de conhecimento com o próprio corpo! Muitas mulheres sente receio em se tocar, se conhecer, se acariciar e principalmente em se masturbar. 85% das mulheres que não conseguem ter orgasmo no coito, podem chegar a conseguir ter orgasmo por estimulação clitoriana, ou com sexo oral. Isso se deve a muitos fatores. Não faz muito tempo, o sexo era tido prioritariamente como instrumento de reprodução, a mulher projetava seu futuro em torno dos filhos e do marido. Inclusive o sexo para o casal idoso era altamente protestado, tendo em vista que uma vez que já não podiam ter filhos não necessitavam mais fazer sexo, e uma vez o fazendo eram tidos como pervertidos. A masturbação era considerada como um meio de perder a fertilidade, pois ao perder o sêmen o homem ia perdendo a capacidade de reproduzir. Na década de 50 descobriu-se que muitas mulheres também se masturbavam. Era considerada pecado mortal pela igreja católica até 1992, quando o papa decretou ser um pecado menor. Mesmo assim, ainda há muitos mitos e tabus em cima da masturbação!
     Para a sexologia, a masturbação é considerada uma prática saudável e fundamental para um bom conhecimento do próprio corpo, é através dela que muitas mulheres com anorgasmia conseguem ter o primeiro orgasmo, inclusive quando são estimuladas pelo parceiro. O sexo no coito, ou seja, com penetração vaginal ainda é visto por muitas pessoas como sendo a "maneira correta" de se conseguir o orgasmo, contudo isso não passa de mito obtido por muitos casais.
Algumas mulheres demoram de 02 a 04 anos depois de terem a primeira relação até conseguirem chegar ao orgasmo, algumas conseguem primeiramente ter o orgasmo clitoriano. Muitas mulheres conseguem ter orgasmo com a prática do sexo oral.
     Muitos homens gostariam de ter suas parceiras sentindo orgasmo na penetração, mas é preciso ter em mente que muitas mulheres podem não conseguir esse feito ou ter dificuldades até chegar lá A terapia sexual detém técnicas que ajudam o casal ou a mulher a deixar de ter esse tipo de disfunção!
     Sobre este artigo, deixamos um espaço para tirar dúvidas, basta enviar e-mail para sexologianews@gmail.com

Nenhum comentário:

Programa da Pri desta Quarta 12.09