quarta-feira, 15 de março de 2017

Disfunção Erétil

     Há atualmente uma grande quantidade de homens jovens, sem problemas aparentes de saúde, apresentando queixas dessa ordem, em alguns casos, fazendo inclusive, uso de estimulantes da ereção. Esses casos podem ter uma resposta ao acompanhamento psicológico bastante positiva quando procuram acompanhamento terapeutico. 

  Sempre que nos deparamos com um sintoma e que aparentemente não existem causas que justifiquem essas dificuldades ou impossibilidades nos questionamos o que está acontecendo? e invariavelmente temos dificuldades em encarar que realmente podemos ter um problema ou algo de ordem emocional mais profundo que esteja causando transtornos e sofrimento intenso, principalmente porque a parceria conjugal não consegue compreender e ajudar, tendo em vista que esse tipo de situação gera estresse e insegurança.
    




     Do ponto de vista fisiológico várias são as causas: 

Neurogênicas - lesões neurológicas, centrais ou periféricas correspondem a 20% das causas de disfunção erétil orgânica.
Endocrinogênicas - correspondem a quase 6% das disfunções orgânicas, dentre as mais comuns estão o hipogonadismo hipogonadotrófico, hipogonadismo hipergonadotrófico e a hiperprolactinemia.
Arteriogênica - Está entre as causas mais comuns da disfunção erétil orgânica, seus aspectos podem ser vastos e vão desde lesões nos vasos que irrigam e drenam o pênis até alterações na responsividade farmacológica do tecido cavernoso.

     Do ponto de vista psicológico:

Fatores emocionais aparentes e inconscientes - Situações de estresse, cansaço físico e mental, problemas financeiros e familiares.
Muitos homens se sentem "impotentes" quando passam por problemas no seio familiar - seja ele de ordem financeira, estrutural ou de saúde - em que eles não conseguem resolver aparentemente ou precisam de tempo para organizar a sua estrutura familiar, ainda mais quando eles se sentem plenamente responsáveis e provedores, absorvendo para si toda a culpa ou conseqüência dos fatos.



 Disfunção mista - fatores combinados:

     Em alguns casos uma disfunção erétil orgânica pode acabar gerando também uma disfunção erétil psicogênica, ou mesmo ambas podem estar agindo juntas sem contudo uma ter relação direta com a outra.

     A disfunção erétil pode ser situacional ou generalizada, ou seja, ela pode acontecer só em determinadas situações ou com determinadas pessoas ou generalizada, que é quando ela ocorre em toda e qualquer situação, independente da pessoa. As vezes o homem consegue ter a ereção, contudo na hora da penetração ele perde a ereção, ou quando coloca o preservativo.   Em adolescentes é mais comum quando coloca o preservativo, em detrimento da inexperiência ou falta de controle do próprio corpo.
     É importante verificar os hábitos e a qualidade de vida de quem apresenta-se com essa disfunção, pois cigarro, bebidas e drogas influenciam muito na qualidade da relação sexual. As substâncias químicas do cigarro tem a capacidade de destruir os corpos cavernosos - principal responsável pela ereção -
     O homem pode ter relações sexuais até o fim de sua vida e inclusive pode ter filhos, diferentemente da mulher que em detrimento da menopausa perde a capacidade reprodutiva. 
     À medida que vai envelhecendo o homem vai perdendo gradativamente sua capacidade eretiva. Esse é um processo normal do envelhecimento, por isso envelhecer com saúde e qualidade de vida é importantíssimo para uma boa qualidade na vida sexual na terceira idade.
     Estudos mostram que a capacidade de penetração diminui para 82% em homens entre 30-39 anos e para 21% em homens acima dos 90 anos
     Os homens precisam aprender a cuidar mais da própria saúde e fazer uma avaliação completa quando sofre de Disfunção Erétil, essa avaliação deve passar por especialistas, tanto o urologista quanto um sexólogo ou psicólogo.     


Keila Oliveira

Psicóloga
Sexóloga
Terapeuta Sexual

10 comentários:

Anônimo disse...

Tenho 29 anos, saude normal, sem vicios de bebida ou cigarro, porem a cerca de alguns meses venho tendo dificuldade em manutençaõ da ereção com parceiras diferentes que não minha namorada! Com ela rola tudo normal, mas com outras não consigo manter a ereção por nervosismo! So que to vendo que isso esta se intensificando por meu medo de acontecer de novo! O que eu faço pra resolver esse problema?

Terapeutas Sexuais disse...

Olá!
Veja bem, de acordo como que você aponta, sugere ser um caso típico de disfunção erétil situacional de origem psicogênica. O mais aconselhável é você procurar ajuda com um psicoterapeuta, um analista ou um terapeuta sexual se for possível, para fazer um acompanhamento e conseguir a remissão dos sintomas!
Espero que tenha ajudado!
Keila Oliveira

Anônimo disse...

tenho um problema semelhante com uma parceira fixa mantenho relaçoes normal, mas com outras parceiras fico ansioso o coraçao acelera o medo de acontecer de novo aumenta ai as vezes acaba nao acontecendo,ai psicologico vai la pra baixo sera que vcs tem uma sugestao pois onde moro nao tem nem medico geral.

Keila Oliveira disse...

Olá!
Geralmente, quando a disfunção é de origem psicológica não há solução melhor nem mais eficaz do que fazer acompanhamento psicológico. quando se mora longe de serviços como este, o que recomendo é tentar procurar ajuda especializada no lugar mais próximo. O indicado seriam sessões semanais, contudo, como nesses casos o deslocamento é difícil e muitas vezes oneroso, recomendo que tente uma negociação com o terapeuta para que seja possível sessões quinzenais, ou a cada 20 ou 30 dias, pelo menos.
Essa é a sugestão!

Anônimo disse...

Oi, tenho 49 anos e há mais de 10 venho tendo dificuldade de manter minha ereção com minha esposa. Já testei com outras parceiras, mas aí o caso muda para ejaculação precoce, pois eu mal penetro e já estou ejaculando. Tudo piorou quando um amigo me aconselhou a usar o Viagra, desde então, só tenho tido relações sexuais mediante o uso do medicamento, pois sem ele eu até tenho ereção, mas essa não dura nada, mal penetro ele já amolece, seja com quem eu estiver. Como voces podem me ajudar?

Anônimo disse...

Sou seropositivo, tenho 33 anos e vivo em Portugal. Descobri que era portador do vírus em 2010, tendo sido contraído em 2002. Tive uma toxoplasmose grave, um linfoma não-hodgkins e várias doenças oportunistas. Ultrapassei tudo isso num espaço de pouco mais de um ano, inclusive com quimioterapia e radioterapia.
Contudo, desenvolvi disfunção erétil, sendo uma situação que me aflige há já muito tempo.
Será que me podem ajudar?

Anônimo disse...

Tenho 24 anos e tenho uma vida sexual ativa já a 4 anos com minha namorada, mas demoro muito para chegar ao orgasmo e ela reclama que acabo machucando ela. O que fazer????

Anônimo disse...

Eu tenho 28 anos não sinto prazer sexual ou desejo e quando ejaculo em vez de sair branco sai apenas um liquido transparente como se fosse só água;



lucianobitoca2011@hotmail.com

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rafael Terrone disse...

Oi tenho 31 anos e estou com problemas de erecao não consigl ter mais tenho diabetes mas está controlada já faz 3 anos q não tenho uma erecao 100%